Simpósio de Integração Acadêmica
Campus Viçosa

Ciência, saúde e esporte: conhecimento e acessibilidade

21 a 26 de outubro de 2013

Trabalho 623

ISSN 2237-9045
Instituição Universidade Federal de Viçosa
Nível Ensino médio
Modalidade Pesquisa
Área de conhecimento Ciências Agrárias
Área temática Engenharia, ergonomia e segurança do trabalho
Setor Departamento de Engenharia Agrícola
Bolsa BIC-Júnior
Conclusão de bolsa Sim
Apoio financeiro CNPq
Primeiro autor Samara Aparecida Santana
Orientador ILDA DE FATIMA FERREIRA TINOCO
Outros membros Diogo José de Rezende Coelho, Luis Gustavo Figueiredo França, Maurílio Duarte Batista
Título Avaliação da temperatura em galpões avícolas em função da cobertura e utilização de forro
Resumo A evolução nas áreas da nutrição, genética, manejo e sanidade animal, juntamente com a importância que passou a ser dada à ambientação das aves à sua faixa de conforto térmico, permitiram que avicultura brasileira se consolidasse como uma das atividades econômicas mais importantes do setor agropecuário. A avicultura brasileira vem apresentando elevado crescimento nas ultimas décadas, contudo, dentre os fatores que interferem diretamente na produção, os térmicos (especialmente temperatura e umidade) estão entre os mais relevantes, pois podem acarretar perdas ou ganhos na produtividade avícola, principalmente durante as fases inicias e finais de crescimento das aves. Assim, os aviários, bem como alojamentos para outras espécies animais em geral, devem ser projetadas de forma a garantir que as condições do ambiente interno das instalações sejam confortáveis aos animais. Dentre os componentes do envoltório construtivo que merecem cuidados especiais, o telhado tem grande influência no ambiente térmico do alojamento animal, devido a sua enorme área de contribuição no conjunto construtivo e por constituir a superfície exposta mais diretamente à radiação solar na maior parte do dia. Desta forma, a radiação solar direta aquece a superfície do telhado que, por sua vez, transmite calor para o interior dos aviários. Alguns materiais utilizados como cobertura possuem melhor comportamento térmico, contudo são de custos elevados, razão pela qual tem-se buscado a utilização de diferentes materiais mais econômicos e convencionais em associação a forros isolantes. Este trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento térmico, através dos cálculos do Índice de Temperatura e Umidade (ITU) e Índice de Temperatura de Globo Negro e Umidade (ITGU), em protótipos de escala reduzida de aviários de frangos de corte distribuídos na área experimental do AMBIAGRO-UFV, sendo: protótipo 1, com telhado de zinco sem forro; protótipo 2, com telhado de fibrocimento sem forro; protótipo 3, com telhado de zinco com forro e protótipo 4, com telhado de fibrocimento com forro. Dentre os resultados encontrados observou-se que o protótipo 3 foi aquele no qual verificou melhor amortecimento da radiação solar e consequente redução na temperatura interna da instalação, sendo que o protótipo 2 foi aquele que permitiu maior passagem do calor e consequente aquecimento do seu interior.
Palavras-chave índice de conforto térmico, aviários, frangos de corte
Forma de apresentação Oral
Gerado em 0,43 segundos.